Eu sou do tempo dos Escudos

Eu ainda sou do tempo da famosa moeda portuguesa: os Escudos. Lembram-se da moeda nacional? Não me está a dar nenhum ataque de saudosista, mas os tempos de hoje já não são como antigamente.

Sou do tempo em que com apenas uma moedinha de 100 escudos comprar um saco cheio de gomas, em que uma pastilha custava apenas 5 escudos e um café 50 escudos. Agora, com a entrada do Euro, tudo à nossa volta parece estar a desmoronar.

O café passou a ser 50 cêntimos (100 escudos), a pastilha 5 cêntimos (10 escudos) e o saquinho de gomas que tanto me enchia de alegria passou a custar 1 euro (200 escudos). Afinal, para que aceitámos o Euro? Que nos trouxe de bom o Euro?

Eu sou do tempo em que olhava para aquele preços com muitos zeros e com valores difíceis de ler e dizer em voz alta como sete mil quinhentos e cinco escudos. Nesse tempo, parecia que com os escudos conseguia comprar muita coisa.

 

Nos últimos anos e em especial no último, as contestações dos populares são muitas. Várias pessoas reclamam querer voltar para trás, quererem abandonar a ideia de moeda única na Europa e voltar a nossa moeda, os Escudos. Infelizmente, esta situação jamais deverá acontecer, pois caso voltássemos ao antigamente podia haver fugas de capitais e aumento exponencial da dívida pública.

Eu ainda sou do tempo do Escudo, aquele tempo em tudo parecia que estava constante evolução e em que gastávamos dinheiro tanto com a cultura portuguesa como em infraestrutura. A expo 98 foi um desses bons exemplos que encheram os portugueses cheios de orgulho pelo próprio país.

A crise chegou e agora com a entrada do FMI parece que quer permanecer. Não se avizinham grandes melhorias, mas os esforços de todos os portugueses são enormes. Cada vez mais famílias inteiras não têm um único familiar a trabalhar, cada vez mais vemos as pessoas a pedir ajuda. Aonde isto vai parar?

Eu sou do tempo dos Escudos e tenho saudades. Nesses tempos esbanjávamos glamour, esperança e glória. Agora, apenas somos conhecidos por todo o mundo por causa da crise económica.

E tu? Ainda és desse tempo? Qual a tua opinião?

Tags: ,

Leave a Reply